Homem é espancado na garagem de casa em Barretos, SP. Crime foi motivado por ciúmes. — Foto: Reprodução/Câmeras de segurança

A Polícia Civil identificou dois dos quatro homens suspeitos de espancar o tratorista Carlos Roberto Rocha, de 56 anos, na última quinta-feira (29), na garagem de casa, em Barretos (SP). A vítima foi internada em estado grave na Santa Casa da cidade e morreu no sábado (1º).

Um inquérito foi instaurado pelo 2º Distrito Policial por homicídio qualificado. Segundo o delegado Fernando Galette, responsável pelo caso, o tratorista teria se insinuado para a mulher de um dos agressores, o que teria provocado o ataque. Um dos suspeitos já havia sido identificado no sábado, foi ouvido e liberado. O segundo envolvido prestou depoimento nesta terça-feira (4).

“Identificamos dois dos acusados. Eles alegam que a vítima estaria mexendo com a mulher de um deles, ele estava ‘cantando’, a mulher do de barba”, afirma.

Carlos Roberto Rocha morreu após ser brutalmente agredido dentro de casa em Barretos, SP — Foto: Arquivo pessoal/Divulgação

Carlos Roberto Rocha morreu após ser brutalmente agredido dentro de casa em Barretos, SP — Foto: Arquivo pessoal/Divulgação

Ainda segundo o delegado, os agressores e o tratorista eram conhecidos e costumavam usar drogas juntos. Galette avalia a necessidade do pedido da prisão preventiva dos suspeitos.

A polícia ainda busca os outros dois homens que participaram no crime. Um deles aparece na imagem com uma tipóia no braço. O outro é o motorista do carro que levou o grupo até o local, mas não entrou na casa. Segundo a polícia, todos são de Barretos.

Violência

O crime aconteceu na madrugada de 30 de novembro, na Rua Dezessete de Agosto, no bairro Monte Alegre. Câmeras de segurança registraram o momento em que Carlos Roberto Rocha abriu o portão da casa e começou a ser agredido por três homens na garagem.

Ele recebeu socos, chutes e várias pauladas na cabeça na garagem da própria casa. Segundo informações do boletim de ocorrência, vizinhos escutaram o barulho e chamaram a polícia. Um sobrinho da vítima estava em um quarto nos fundos da casa, mas não conseguiu impedir a ação dos agressores.

Uma das vizinhas informou à polícia que viu os quatro homens chegarem à casa do tratorista em um Gol branco, quatro portas, com uma faixa vermelha no teto.