Foto Reprodução/Blog Seridó no AR.

delegado Sandro Regis já tem os nomes dos suspeitos de terem pichado a residência do prefeito de Macau, Túlio Lemos, fato ocorrido na madrugada da última quarta-feira, dia 12.

Uma testemunha que já prestou depoimento à Polícia, apontou os nomes de Gabriel, filho de Milton da Eletrosat, Zé do Pipa e o jovem conhecido por Neto, filho de Maninho Cangulo e Sirleide, como os autores das pichações criminosas na casa do prefeito. Eles estavam encapuzados durante o ato, mas depois retiraram o capuz e fugiram pela rua Dom Pedro II, momento em que foram abordados e reconhecidos pela testemunha.

O delegado já tem em mãos imagens das câmeras de segurança de alguns locais da rua que serviu de rota de fuga dos pichadores. As imagens vão fazer parte do inquérito.

Os três suspeitos já foram intimados a prestar depoimento na Delegacia de Polícia Civil de Macau e vão responder a processo na Justiça.

A casa do prefeito foi pichada com os dizeres “Fora Túlio”, como se tivesse sido algo feito pela população, que estaria insatisfeita com a gestão macauense. Durante o protesto feito por políticos de oposição que participaram de gestões passadas, alguns chegaram a dizer que as pichações tinham sido feitas por correligionários do próprio prefeito para se fazer de vítima.

Porém, com a descoberta dos autores, todos de oposição ao prefeito, fica claro que as pichações tinham somente o intuito de desgastar a imagem do prefeito na cidade e também na mídia estadual.
Pichação é considerada crime ambiental e dano ao patrimônio, com pena de três meses a um ano de prisão e multa.