Até 17h, outros seis corpos já tinham sido encontrados. Operação na sexta-feira no local, que seria usado por milicianos, já tinha achado outros 12 conjuntos de restos mortais. ( Foto: Divulgação )

Uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público encontrou nesta quarta-feira (10) mais corpos em um cemitério clandestino que, segundo investigações, era usado por milicianos de Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio. Até as o fim da tarde, seis corpos tinham sido desenterrados.

As buscas contaram com uma retroescavadeira. Na sexta-feira (5), primeiro dia de buscas, outros 12 corpos já tinham sido achados. A polícia chegou a anunciar, no dia, que 14 corpos tinham sido achados, mas corrigiu o número nesta quarta.

De acordo com as investigações, o local era usado pela milícia que atua na região. O grupo foi alvo da Operação Salvator, que na quinta-feira (4) prendeu 50 pessoas.

Há a suspeita de que a quadrilha, comandada por Orlando Curicica, matou pelo menos 45 pessoas e sumiu com os corpos.

Segundo a polícia, rivais ou vítimas da milícia de Itaboraí eram chamadas de “discos voadores”, por desaparecerem de uma hora para outra sem deixar rastro.

Há relatos de expulsões, mutilações e sumiços. “Um chegou a tirar o coração de uma vítima, a cabeça”, citou o delegado Gabriel Poiava.

Retroescavadeira é usada em buscas por corpos em Itaboraí — Foto: Divulgação

Retroescavadeira é usada em buscas por corpos em Itaboraí — Foto: Divulgação