Suzane Von Richthofen. ( Foto: Reprodução/ Rede Record )

A Juíza da Vara de Execuções Criminais de Taubaté, Wânia Regina Gonçalves da Cunha, negou o pedido da detenta Suzane Von Richthofen, condenada há 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais, de estudar na universidade de Campos do Jordão. A detenta foi aprovada em 8° lugar para cursar Gestão de Turismo do Instituto Federal de Ciência, Tecnologia e Educação de São Paulo (IFSP).

De acordo com a Juíza, os detentos em regime semi-aberto só podem frequentas instituições disponíveis no mesmo território do presídio. Suzane chegou a fazer a matrícula via procuração, mas estava aguardando a liberação da justiça.

Presa em 2002, Suzane está em regime semiaberto há cinco anos na penitenciária de Tremembé (SP). Segundo a lei brasileira, detentos que estão em regime semi-aberto podem sair do presídio para trabalhar e estudar.

Não é a primeira vez que Suzane é aprovada para estudar desde que foi presa. Em 2016 e 2017 ela foi aprovada em diferentes universidades para cursar administração, mas optou por não fazer a matrícula por medo de sofrer represálias.