José de Abreu. ( Foto: Redes Sociais/Ator )

Inspirado pela atitude de Juan Guaidó na Venezuela, José de Abreu decidiu se autoproclamar “Presidente da República” do Brasil. Conhecido pela proximidade com o Partido dos Trabalhadores (PT) e pela oposição ao presidente Jair Bolsonaro, o ator usou o Twitter para dar início à “brincadeira”, que agitou o Twitter e se tornou um dos assuntos mais comentados.

Desde a noite desta segunda-feira (25), José de Abreu tem comunicado as suas “decisões”. Ele deu início a montagem do seu governo e para isso “convocou” a deputada federal Maria do Rosário para o cargo de vice-presidente. Jean Wyllys foi nomeado Ministro da Segurança Pública e Respeito ao Cidadão e Celso Amorim para a pasta da “Ministério da Paz Internacional”.

O ator também ironizou ao lembrar um dos slogans da campanha de Jair Bolsonaro nas eleições. “Nossa bandeira não será laranja”, escreveu Abreu, em referência ao escândalos envolvendo candidaturas “laranjas” ligadas ao PSL, partido do atual presidente. Sobrou até para Maitê Proença, sua colega de profissão:

“Acabar com as pensões das filhas casadas e que fingem ser solteiras, como a Maitê Proença”, respondeu a um internauta que perguntou quais seriam as primeiras medidas.

No embalo da decisão do MEC, que recomendou que os alunos das escolas públicas passem a cantar o Hino Nacional diariamente,. O artista garantiu que no seu mandato, o hino só será cantado “por iniciativa dos brasileiros em qualquer tipo de solenidade sendo proibida sua obrigatoriedade em todo Território Nacional”.