O deputado estadual Hermano Morais será o propositor de Audiência Pública relativa a prevenção ao suicídio, conhecido com Setembro Amarelo. Além disso, serão debatidas políticas públicas sobre drogas no Brasil e no Rio Grande do Norte. As discussões estão marcadas para acontecer na próxima terça-feira (10), a partir das 14h, no Plenário Cortez Pereira, na Assembleia Legislativa.

O referido evento terá a presença do professor Dr.Quirino Cordeiro Júnior, que atualmente é Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, vinculado ao Ministério da Cidadania. Ele vai proferir uma palestra que trará informações e dados sobre as políticas públicas em execuções no país referente as drogas no Brasil.

Todos os anos cerca de um milhão de pessoas morrem por suicídio no mundo e ocorrem entre 10 a 20 milhões de tentativas de suicídio por ano. Por cada pessoa que morre, outras vinte tentam o mesmo caminho. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que o suicídio é a 13ª causa de morte no mundo, sendo uma das principais entre adolescentes e adultos até 35 anos.

Algumas representações de entidades terapêuticas, setor de saúde da Assembleia Legislativa, Secretarias Estadual de Saúde e Educação, UFRN, Hospital Severino Lopes, Conselho Regional de Medicina, Associação de Psiquiatria e outros envolvidos estarão presentes.

Setembro Amarelo

Setembro Amarelo é uma campanha criada para conscientizar e mobilizar a sociedade brasileira pelo combate ao suicídio. A iniciativa é promovida pelo Conselho Federal de Medicina, pela Associação Brasileira de Psiquiatria e pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), que oferece apoio emocional para pessoas que passam por momentos difíceis. A instituição permite entrar em contato por meio do telefone 188, por e-mail (https://www.cvv.org.br/e-mail/), atendimento pessoal e chat virtual (https://www.cvv.org.br/chat/), para conversar anonimamente com voluntários treinados para conceder apoio as pessoas que cogitam o suicídio.

Além disso, a Setembro Amarelo realiza ações para promover saúde mental e divulgar centros que oferecem ajuda psicológica. A campanha conta com apoio de meios de comunicação, empresas e órgãos públicos que promovem ações e debate de conscientização.

Hoje, cerca de 3 mil voluntários, em mais de 110 postos, prestam serviço voluntário e gratuito 24 horas por dia, nos 365 dias do ano, aos que querem e precisam conversar sobre seus sentimentos, dores e descobertas, dificuldades e alegrias. De forma sigilosa e sem julgamentos, o voluntário do CVV busca ouvir aquele que liga com profundo respeito, aceitação, confiança e compreensão, valorizando a vida e, consequentemente, prevenindo o suicídio

Após a implantação do telefone 188, por meio de acordo com o Ministério da Saúde que garantiu gratuidade da tarifação telefônica, registramos cerca de 3 milhões de atendimentos por ano.

Todas as formas de acesso podem ser conferidas no site www.cvv.org.br, onde também é possível se informar sobre o Posto CVV mais próximo e como se tornar voluntário.