Fisiculturista Yara Silva. ( Foto: © Reprodução redes sociais e Éder Souza/Inter TV )

A fisiculturista Yara Silva, vice-campeã sul americana, foi presa na zona norte do Rio, acusada de ser fornecedora de drogas em Itaperuna, no Noroeste Fluminense. A operação foi realizada pelas polícias Civil e Militar em conjunto com o Ministério Público do Rio de Janeiro na manhã desta terça-feira (4).

Segundo informa o G1, cerca de 40 pessoas já foram presas e uma apreendida. Duas foram presas em flagrante com drogas.

A ação já cumpriu 40 mandados de prisão, 15 foram de acusados que já estão em presídios de Bangu e de Magé. Outras 24 foram presas em casas no município de Itaperuna.

No total devem ser cumpridos 47 mandados de prisão, e 47 mandados de busca e apreensão e de prisão.

De acordo com a polícia, a fisiculturista Yara Silva tinha envolvimento com o chefe do tráfico em Itaperuna e se tornou fornecedora de drogas da região. Ela é suspeita de financiar a categoria de fisiculturismo com o dinheiro do tráfico de drogas.

A operação Gólgota 2 atua em cerca de seis pontos da cidade do Noroeste. A ação é uma continuação das investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do MPRJ, que também levaram à prisão de 11 pessoas em 2014 na Operação Gólgota.

A denúncia feita pela Promotoria de Investigação Penal de Itaperuna em 2014 indica que a quadrilha, ao longo do tempo, construiu “uma verdadeira estrutura empresarial, tendo como foco a divisão, ainda que flexível, de tarefas, em que cada membro desempenhava uma função essencial para o sucesso da empreitada”.