Foto: João Gilberto / Ascom AL

Propositor da audiência pública, o deputado Coronel Azevedo lembrou que foi procurado pelos representantes do movimento nacional GNV Preço Justo e reforçou a importância em se trazer este tema ao debate na sociedade potiguar. “A população precisa conhecer melhor o que acontece com o GNV e também ter essas informações dos valores”, declarou.

Coronel Azevedo informou que vai propor encaminhamentos junto aos representantes do setor para que sejam enviadas propostas ao Governo que sejam inseridas na pauta econômica para buscar incentivos aos usuários do GNV.

Durante a audiência, o secretário estadual do Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, destacou “sintonia” do deputado Coronel Azevedo com os temas em debate no Rio Grande do Norte “É de grande importância esse debate promovido aqui para que busquemos iniciativas para desenvolver este segmento da nossa economia”, disse.

Para o coordenador do movimento GNV Preço Justo, Leonardo Barreto, é necessário que medida concreta por parte do Governo. “Queremos uma solução”, afirmou. Segundo ele, o preço cobrado do GNV no estado é o mais caro do Nordeste.

O diretor executivo da Federação do Comércio do Rio Grande do Norte (Fecomercio/RN), Jaime Mariz frisou a importância de uma “parceria saudável do governo e empresariado” para que haja desenvolvimento e lembrou que a “situação do Rio Grande do Norte não é a mesma de estados vizinhos” e comparou com Ceará e Paraíba reforçando o crescimento dessas unidades da Federação.

O chefe de pesquisa do Procon Natal, Alesandro Marques citou dados relativos ao preço do GNV nos anos de 2016 a 2019 e mostrou a variação do preço ao longo desse período. Ele alertou que o “GNV, que era para ser uma opção para abastecer”, está com preço parecido com álcool e gasolina.

Representando a Secretaria estadual de Tributação, a auditora fiscal Jaqueline Aparecida Araújo Barbosa fez explicações técnicas a respeito de tarifas e valores que são usados para tributar os preços sob olhares atentos dos usuários de veículos com GNV.

A diretora-presidente da Companhia Potiguar de Gás (Potigas), Larissa Dantas Gentile, fez uma apresentação contextualizando o cenário nacional e números relacionados à autarquia do Governo. Ela citou exemplo de estados do Nordeste e como eles trabalham a questão do fornecimento de gás.

O presidente da Comissão de Relação de Consumo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Pedro Petta, elogiou a atuação do deputado Coronel Azevedo em trazer a temática do GNV ao debate no Parlamento. Ele comentou que a “OAB está preocupada” com a situação envolvendo o gás. “A cadeia consumidora fica inviabilizada e isso é muito preocupante”, declarou.

No final da audiência, Coronel Azevedo disse a importância em se recuperar a confiança em investir no setor do GNV seja instalando o kit ou abastecendo com o gás. Um grupo de trabalho vai se reunir na segunda-feira, 27, para iniciar as discussões a respeito do tema.