Carta escrita pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Seja qual for o resultado das eleições, a reconstituição da história passará pela cadeia. Se Fernando Haddad for eleito, Lula terá feito a campanha mais espetacular desde a chegada das cavavelas, elegendo o inacreditável. Se Jair Bolsonaro vencer, Lula descerá ao verbete da enciclopédia como um manipulador fracassado que elegeu com sua taxa de rejeição um presidente da República inimaginável.

Lula chega à beira da urna em posição constrangedora. Realiza um derradeiro esforço para evitar um fiasco: a vitória de Bolsonaro no primeiro turno. Expediu mais uma de suas correspondências do cárcere. Endereçou-a ”ao meu querido povo brasileiro”. Anotou: “Dia 06 de outubro é meu aniversário oficial. Espero ganhar de presente no dia 07 de outubro o voto do povo brasileiro no Haddad para presidente. Haddad é 13. Haddad é Lula. Um grande abraço do Lula. Sem medo de ser feliz”.

Em verdade, Lula nasceu em 27 de outubro. Deve-se a menção ao dia 6 a um erro cometido na hora em que a certidão de nascimento foi lavrada. Com medo de que Bolsonaro o faça infeliz, Haddad apressou-se em trombetear a notícia falsa nas redes sociais nesta sexta-feira. ”Amanhã, se completam 73 anos do nascimento do maior líder brasileiro da história”, escreveu.

Haddad entrou na disputa tardiamente cantando como um tico-tico em terra que tem palmeiras e cabo eleitoral presidiário. De repente, caiu-lhe a ficha. Notou que a hospitalização não impediu que Bolsonaro voasse com o vigor de um sabiá que come o fubá do antipetismo pelas beiradas. O poste havia se programado para encerrar sua campanha em São Paulo. Na última hora, transferiu a agenda para o Nordeste.

Teleguiado pelo controle remoto de Curitiba, tenta deter o avanço do capitão sobre uma cidadela do PT. Não demora e todos saberão se Lula sairá de 2018 consagrado ou desmoralizado

Por ora, a única certeza à disposição é a seguinte: num Brasil empregocida, com quase 13 milhões de desempregados, a influência política da cadeia revela que o único empreendimento que prospera é a indústria da decadência.