Abertura dos portões no campus do Itaperi da Uece (Foto: Ranniery Melo/G1)

Ceará tem 365 mil candidatos aptos a fazer a prova do Enem neste e no próximo domingo (5 e 12), conforme dados divulgados pelo Inep. O Ceará é o sexto estado com maior número de inscrições, atrás de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco. São Paulo, que lidera o ranking, tem 1.136.851 de candidatos inscritos.

Neste domingo, os candidatos fazem prova de ciências humanas, linguagens e códigos e redação. Muitos dos primeiros candidatos a deixarem o local de prova também relataram muita dificuldade com o tema da redação: “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. O estudante Tiago Moreira, ao sair da prova na Uece, deixou a redação em branco: “Não tenho vivência e não tenho muito conhecimento sobre o tema”. As provas das outras disciplina foram fáceis pra Tiago.

O estudante de psicologia Jairo Silva, de 24 anos, afirma que desde o ano passado a prova do Enem tem um conteúdo mais difícil do que o abordado no Ensino Médio. Para ele, tanto a redação como as questões de múltipla escolha tiveram um alto nível de dificuldade.

Machucada antes da prova

Ivanilda Barros de Alencar, se machucou momentos antes da prova (Foto: Ranniery Melo/G1)
Ivanilda Barros de Alencar, se machucou momentos antes da prova (Foto: Ranniery Melo/G1)

Ivanilda Barros de Alencar, autônoma de 59 anos, teve a infelicidade de se machucar momentos antes da prova, quebrando um osso da mão. Ela checou o edital do Enem para saber o que poderia fazer por conta do ferimento. Como não encontrou nenhuma informação a respeito, foi orientada por amigos a ir ao local de prova para justificar a condição. “Não consigo escrever”, conta.

‘Nunca é tarde para começar’

Maria Estela da Costa tenta o curso de medicina aos 51 anos (Foto: Ranniery Melo)
Maria Estela da Costa tenta o curso de medicina aos 51 anos (Foto: Ranniery Melo)

Maria Estela conta que sempre quis cursar medicina, mas “deixou o tempo passar” com as obrigações como filhos e trabalho. “Nunca é tarde para começar”, comenta. Aos 51 anos de idade ela voltou aos estudos e tenta um curso na área da saúde, ao qual ela sempre teve apreço, especialmente medicina.

‘Fome a gente não passa’

Elizamara Oliveira preparou muita comida para levar ao local de prova do Enem: 'pelo menos fome a gente não vai ter fome na hora da prova'. Ela faz o Enem pela segunda vez e diz que sofreu desconforto com a fome em 2016 (Foto: Ranniery Melo/G1)
Elizamara Oliveira preparou muita comida para levar ao local de prova do Enem: ‘pelo menos fome a gente não vai ter fome na hora da prova’. Ela faz o Enem pela segunda vez e diz que sofreu desconforto com a fome em 2016 (Foto: Ranniery Melo/G1)

Elizamara Oliveira, de 17 anos, faz o Enem pela segunda vez e conta que neste ano resolveu levar bastante comida para o local de prova, o que é permitido pelas regras do exame. “Pelo menos a gente não vai ter fome na hora da prova”, diz.

Aumento nas vendas

Aílton Lopes comemora o aumento das vendas nos dias de Enem (Foto: Ranniery Melo/G1)
Aílton Lopes comemora o aumento das vendas nos dias de Enem (Foto: Ranniery Melo/G1)

O ambulante Aílton Lopes trabalha todos os anos nos locais de prova do Enem. A data é uma garantia de aumento nas vendas. “A gente vende melhor [nos dias de Enem], mas tem uns cursos, uns colégios que dão água. Distribuíram mais de cinco mil águas. Atrapalha um pouco [as vendas], mas está dando certo.”

Ele conta que o que mais vende nesse domingo são os chocolates. “A água vende menos por causa da concorrência por causa da oferta dos colégios, mas a venda de caneta superou os outros anos”, diz.

Além de ajudar os alunos, o Enem em dois fins de semanas ajudou também os ambulantes, na avaliação de Aílton. “É menos cansativo pros alunos e pra gente também.”

Boa sorte aos candidatos

Secretário da Educação do Ceará foi a local de prova do Enem para desejar boa sorte aos candidatos (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)
Secretário da Educação do Ceará foi a local de prova do Enem para desejar boa sorte aos candidatos (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)

O secretário da Educação do Ceará, Idilvan Alencar, compareceu ao campus do Itaperi para desejar boa sorte aos candidatos. Ele comemorou também a participação de alunos de escolas do Estado no concurso.

“Está acontecendo um estímulo cada vez maior de participação da rede pública. No ano passado, cerca de 30% dos alunos da rede pública foram aprovados. Isso estimula o estudante que vê o colega entrando numa universidade. Esse ano teve uma queda no número de inscritos porque o Enem não garante mais o diploma de conclusão do Ensino Médio”, afirmou o secretário.

Leia mais notícias em blogseridonoar.com.br  siga nossas páginas no Facebook no Twitter no Instagram e veja nossos vídeos no Youtube Você também pode enviar informações à Redação do Blog Seridó no Ar pelo WhatsApp (84) 9 9900-4075.

E-mail : [email protected]