O Comitê de Prevenção de Perdas e Desperdícios APRAS, em parceria com a ABRAPPE (Associação Brasileira de prevenção de Perdas), realizou no dia 20 de novembro uma reunião para debater o assunto com diversos especialistas. A reunião foi coordenada pelo presidente do comitê, Éder Motin, e contou com a presença de diversos supermercadistas de todo o Paraná. No evento, um dos palestrantes, o Secretário Municipal de Agricultura e Abastecimento, Luiz Gusi, sugeriu a criação de um programa integrado com a Apras (Associação Paranaense de Supermercados) para trabalhar as políticas públicas do estado.

“Viemos neste evento para gerar uma conexão entre os atores públicos e privados e para nos integrarmos ao grupo. Os supermercados são a ponte entre o consumidor e a produção e eles podem fazer a diferença e, em conjunto, poderemos pensar em soluções para os problemas sociais, como a fome e o desperdício”, disse Gusi.

Para que a ideia seja colocada em prática, o CPAR-PR e o secretário ficaram de reunir algumas soluções para apresentar na próxima reunião do comitê, que será realizada em fevereiro.

Para o presidente do CPAR-PR, Éder Motin, o comitê foi criado com o objetivo de reduzir as perdas do setor e combater o desperdício e esta união entre o poder público e o privado já representa os frutos deste projeto. “Trabalhar de maneira integrada com o poder público demonstra que vivemos em um momento em que as mazelas sociais são vistas como uma responsabilidade de todos. Esperamos poder ajudar e utilizar o setor supermercadista como uma ferramenta para minimizar os problemas da sociedade”, destacou Motin.

A gerente estadual de desenvolvimento social, Miriam Fukner, apresentou o Projeto PDA – Perdas e Desperdícios de Alimentos, que em breve já começará a ser colocado em prática. Segundo Miriam, o Brasil está entre os 10 países que mais desperdiçam alimentos no mundo e o projeto será uma maneira de diminuir este índice.

Um projeto de sucesso que contribui para reduzir o desperdício e combater a fome é o Mesa Brasil do SESC. A Fernanda Hardt Kehl apresentou o programa aos supermercadistas presentes no evento e chamou a atenção para um dado alarmante. “No Brasil, cerca de 41 mil toneladas de alimentos vão para o lixo por dia, o suficiente para alimentar 19 milhões de pessoas. Não pode haver desperdício de alimentos onde há pessoas passando fome”.

O evento também contou com uma apresentação do Luiz Fernando Camargo, advogado do Festval, que falou sobre a abordagem de clientes nos supermercados.

Também esteve presente no evento o professor Antonio Juglair Pereira, engenheiro agrícola, especialista em cortes, mestre e professor da PUC-PR, que falou sobre o rendimento de carnes no supermercado. A reunião também contou com a participação da Priscila Andrade, Coordenadora de Pesquisas da Fecomercio, que trouxe o resultado de pesquisas referentes ao consumo de final de ano, dados de estoque e números do comércio varejista.