SP - DORIA/FORMATURA DE SARGENTOS - GERAL - O prefeito de São Paulo João Dória, acompanhado pelo Secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa, e pelo Deputado Federal Jair Bolsonaro, participa da solenidade de formatura do Curso de Formação de Sargentos da Polícia Milita, no Sambódromo do Anhembi, na zona norte da capital paulista, nesta sexta-feira. 29/03/2017 - Foto: HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO CONTEÚDO

João Doria (PSDB), prefeito de São Paulo, afirmou que é “uma vergonha” para os brasileiros apoiarem Jair Bolsonaro (PSC) e Lula (PT) como possíveis candidatos às eleições de 2018. O tucano disse respeitar as ideologias da população, mas reafirmou sua opinião sobre os oponentes.

Durante almoço na Associação Comercial do Rio de Janeiro, porém, Doria disse que não é candidato à Presidência da República. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), seria o nome ideal para unir “forças do centro” no próximo pleito, segundo Doria.

O prefeito disse que apoiar Alckmin é um ato nobre. “Temos que ter grandeza, da minha parte também. Entendo que, claramente, podemos ter uma candidatura de centro, agregando outros partidos, para acumular tempo de TV, numa campanha tão curta, com metade do tempo das anteriores.

Na última foi 90 dias, agora serão 45. Se Geraldo Alckmin tem condições de ser essa liderança e aglutinar outros líderes, e eu tenho essa grandeza. Alguns dizem que falta isso ou aquilo, mas não há candidato perfeito, seria ótimo se tivesse. Ele pode cumprir sim esse papel. Isso certamente poderá se cristalizar e, se cristalizar, terá o meu apoio”, afirmou.