© REUTERS/Sebastien Nogier

O Comitê Olímpico do Brasil foi suspenso provisoriamente pelo Comitê Olímpico Internacional. O anúncio foi feito há pouco pela entidade, que também afastou o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, preso nessa quinta. O dirigente brasileiro é membro honorário da entidade e faz parte do comitê de coordenação dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

Segundo a nota, a suspensão do COB perante o COI acarreta em congelamento dos repasses de dinheiro, com exceção das instituições de educações que são apoiadas pelo Comitê. Atletas brasileiros não serão afetados e serão, inclusive, aceitos nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018.

Mais cedo, o Comitê havia admitido que “dados os novos fatos, a comissão de ética do COI pode considerar tomar medidas preventivas, embora respeite o direito de o senhor Nuzman ser ouvido”, disseram em comunicado.

Na Operação Unfair Play, Leonardo Gryner, braço direito de Nuzman no COB, também foi preso.