A caminhada matinal que faz parte da rotina do advogado Rubens Feitosa, 59, foi interrompida em 11 de março com um ataque de cães de grande porte contra ele e o animal de estimação que o acompanhava, o cachorro Bolt. O animal foi atacado por três cães maiores, que passeavam sem a coleira, e morreu.

Imagens de câmera de segurança mostram o advogado caminhando com o cão pela rua por volta das 6h30. Quando chega a uma esquina, um grupo de cachorros corre e ataca o animal. Um dos homens que estavam com os cães corre e tenta proteger o cachorro de Feitosa. No entanto, de acordo com o advogado, o animal já havia sido ferido.

Feitosa foi mordido na mão e ficou com hematomas na barriga ao tentar proteger o animal de estimação.

O advogado registrou um boletim de ocorrência no 13º Distrito Policial, e espera identificar os responsáveis pelos cães que o atacaram. Segundo ele, os animais estavam soltos; um deles era da raça fila brasileiro. O caso ocorreu na Rua Euclides Onofre de Souza, esquina com professor Solon Farias, próximo à casa da vítima, no Bairro Sapiranga.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Ceará, o caso ficará a cargo do 26º Distrito Policial, unidade responsável pela região onde ocorreu o fato.

Bolt estava há quatro anos com a família. O advogado se emociona ao afirmar que o animal era um companheiro diário. “Ele era mestiço, de mãe Yorkshire e pai Schnauzer. Tinha uma cor diferente, era um cachorro muito bonito e inteligente”, comenta.

Bolt morreu após ser atacado por cães maiores que passeavam sem a guia, em Fortaleza; dono foi mordido e registrou Boletim de Ocorrência. (Foto: Arquivo Pessoal)

Bolt morreu após ser atacado por cães maiores que passeavam sem a guia, em Fortaleza; dono foi mordido e registrou Boletim de Ocorrência. (Foto: Arquivo Pessoal)

Feitosa afirma que Bolt ficou com hematomas, uma costela deslocada e teve o pulmão perfurado. Ele chegou a ser socorrido em uma emergência veterinária logo após o ataque, mas não resistiu. “Colocaram ele no oxigênio, mas com uns 15 minutos ele faleceu”, conta o dono.

O homem realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e, segundo ele, está sendo acompanhado por médicos e tomando vacina antirrábica.