© Reprodução/Facebook

O caso do dentista que matou um amigo e feriu outro, ao voltar de uma festa, no último sábado (10), em Niterói (RJ), ganhou mais um capítulo nesta segunda-feira (12). Três amigos de Gilberto Ranhol, preso em flagrante, também foram detidos por tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas.

O crime foi cometido quando um dos ocupantes do carro, Raphael, subiu para pegar roupas no apartamento dele. Quando voltou, encontrou um morto e um baleado. A polícia desconfiou da versão e conseguiu na Justiça um mandado de busca e apreensão nas casas dos envolvidos.

De acordo com o Extra, foram encontrados metanfetamina, LSD, haxixe e maconha, além de balanças de precisão e caderno com anotações. Raphael, Frederico, Igor, Nelson, que morreu na hora, Wagner, em estado grave no hospital, e Carlos, esse último policial civil, de quem Ranhol roubou a arma e disparou contra as vítimas, aguardavam Raphael descer em frente ao edifício dele.

Depois de Gilberto ser preso, o policial Carlos foi à delegacia. Na casa dele, nada foi achado, conforme o delegado Leonan Calderaro. “Nada de ilícito foi encontrado”, disse, acrescentando que o agente está em liberdade e sua conduta será investigada pela Corregedoria da Polícia Civil. O delegado ainda enfatizou que o suspeito, após disparar contra os amigos, voltou a usar drogas “como se nada tivesse acontecido”.